19 janeiro 2014

Escolhendo os alimentos

Olá Belas,



Como de costume aqui no blog, domingo é dia de falarmos sobre alguns assuntos relacionados a nossa saúde emocional, nutrição, exercícios, a luz da bíblia.
Uma pergunta que eu fazia quando comecei a ter o desejo de emagrecer e cuidar da minha saúde era: Será que Deus se importa realmente com a forma como eu me alimento?

Esta semana voltei a meditar em algumas palavras e versículos da bíblia onde Deus fala sobre como seu povo deve se alimentar, e claro, gostaria de compartilhar aqui com vocês.
Para quem nunca leu a bíblia, achando um livro “grande e chato” eu afirmo que ele realmente é grande, mas está longe de ser chato ou desatualizado. Temas como alimentos, nutrição e leis dietéticas se repetem na bíblia desde o início da criação das plantas para alimentar Adão (Gênesis 1:29), a bíblia também nos mostra que o pecado entrou quando Eva comeu o único alimento (fruto) proibido (Gênesis 3:6), depois do dilúvio “tudo que se move” tornou-se alimento potencial para Noé (Gênesis 9:2-3).

A lei dietética de Levitico 11 é um esboço cuidadoso de o que Deus desejava que os hebreus comessem (alimentos limpos) e o que não comessem (alimentos impuros). Assim a categorização e seleção dos alimentos tornou-se parte da religião, da lei e da cultura hebraica. A adesão a estas leis simbolizava obediência e amor a Deus por parte de seu povo.

Mesmo no cativeiro estas leis ajudaram o povo de Deus a permanecer juntos como nação separada. A obediência a Deus mostrada por Daniel comendo apenas alimentos “limpos” apesar da generosa e grande variedade fornecida pela mesa do rei, é admirável (Daniel 1:8), me espelho muito nesta passagem quando o assunto é determinação em relação a minha alimentação. No tempo do Antigo Testamento, obediência as leis de Deus apresentadas por Moisés era essencial para alguém receber as bênçãos (Êxodo 20:8 e Deuteronômio 28:1-68).

Sob a nova aliança em Cristo recebemos as bênçãos de Deus pela graça e não por obras (Romanos 4:13 e Gálatas 5:22-23). Portanto seguir as leis mosaicas ou do antigo testamento com relação ao consumo de alimentos não é uma exigência para os cristãos de hoje. No entanto o “domínio próprio” é importante por ser um fruto do Espírito Santo (Gálatas 5:23). Além disso, seremos sábios se reconhecermos que muitos dos “alimentos imundos” apresentados em Levítico, por uma série de razões, não são alimentos considerados saudáveis e benéficos para saúde por nutricionistas. Devemos saborear os alimentos de acordo com as nossas necessidades NUTRICIONAIS, fazendo uma seleção saudável e em porções apropriadas, lembrando que, ao fazê-lo, honramos aquele que escolheu nosso corpo para ser seu templo (1 Coríntios 6:19). (Fonte de alguns versículos e citações: Bíblia da Mulher)

Então como vemos a resposta é sim, Deus se importa com a forma como nos alimentamos e isso deve sim importar a nós. Precisamos escolher os melhores e mais adequados tipos de alimentos, buscar informação, auxilio profissional, o que estiver a nosso alcance.

Fiz uma experiência a um tempo atrás anotando durante 4 semanas tudo que sentia vontade de comer e tudo que efetivamente comia e as quantidades que em alguns momentos alguns sentimentos (cansaço, frustração, angústia, medo, insegurança, incerteza, saudade) me levavam a ter o desejo de comer doces e gorduras em excesso e em alguns momentos farináceos e por sua vez estes alimentos pobres em nutrientes/vitaminas e ricos em calorias me geravam mais compulsão alimentar. Baseada nesta observação comecei a  ficar atenta (vigiando), resistir (orando), fazer suplementação com vitamina também ajudou e ajuda muito até hoje, resistindo não aos alimentos especificamente mas aos sentimentos que desencadeavam minha fome emocional e isso me fez vencer alguns Kg que não me pertenciam.

Não sou psicóloga, mas aprendi me observando e sendo guiada por Deus, hoje cada vez menos caio nas armadilhas emocionais de me alimentar em excesso para suprir algo que posso encontrar em Deus, e isso reflete na balança.

Minha dica de hoje é: Tenha a as disposição opções leves e saudáveis para aquilo que gosta, comece com substituições simples do refrigerante normal ao light, do pão branco para o integral, do elevador para a escada, vá aos poucos acrescentando hábitos mais saudáveis e aos poucos isso vai virar seu estilo de vida, comece caminhando 15 minutos, não tente correr por 2 horas no primeiro dia. Respeite seu ritmo, seu corpo te avisará quando parar e como continuar.

Espero que tenham uma semana abençoada repleta de conquistas!

Deus abençoe.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

© Bem Bela - 2013. Todos os direitos reservados.
Design desenvolvido por: Colorize Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo