22 setembro 2016

Quem quer dá um jeito, quem não quer...

Já reparou o quanto somos rápidos em encontrar desculpas / justificativas para algo que dizemos com nossos lábios ser prioridade mas na verdade nossas atitudes e esforços dizem justamente o contrário?

Faça um teste: escreva em um pedaço de papel todas as coisas que você mais deseja em ordem e importância e verifique quais esforços diários tem feito para alcançar os ítens que merecem o topo desta lista. Não irei me surpreender caso você descubra, assim como eu já descobri que muitas vezes meus ítens prioritários não acontecem porque eu realmente não estou fazendo nada para alcançá-los.

Assim aconteceu a alguns meses atrás quando me peguei orando e refletindo a respeito de algumas escolhas e objetivos na minha vida pessoal, um dos meus itens "topo da lista" era emagrecer e encontrar equilíbrio emocional pra transformar a maneira como eu me alimentava e lidava com meu corpo de um modo geral. Percebi que fazia muitas e muitas coisas, mas não estava disposta a fazer o mais importante: aprender algo novo porque afinal "eu jpa sabia demais". Para encurtar um pouco a história encontrei algo novo e precisei me remodelar, me reprogramar e me dispor a aprender, me dispus a dar atenção e esforço diretamente proporcional a importância dos resultados que eu desejava, encontrei as informações que me faltavam, que sempre estiveram a minha volta mas eu não me atentei porque "já sabia o suficiente".

Resultado após menos de 6 meses: conquistei meu objetivo! Eliminei 20 Kg (uau que ótimo!) , mas o mais importante: APRENDI A ME RELACIONAR CORRETAMENTE COM A COMIDA, aprendi a me compreender e a me rspeitar... mudei meu relacionamento com as pessoas e com meu corpo.

Se você está desesperadamente atrás de algo assim eu sinto dizer que não há uma receita de bolo, mas com certeza posso compartilhar coisas que me ajudaram: 

1. Vida com Deus e oração; 
2. Transparência e honestidade comigo mesma e com alguém que poderia me ouvir e compreender e me incentivar; 
3. Disposição para aprender coisas novas, abrir mão das velhas e não ser mimadinha a ponto de não poder abrir mão de algo; 
4 - informações finalmente coerentes cientificamente falando a respeito de uma boa alimentação, totalmente contrária a um monte de baboseiras que já aprendi e inclusive compartilhei aqui (me perdoem, eu também fui enganada, mas acredito que toda essa jornada tenha me ajudado a aprender mais sobre mim e tanta mentira me fez entender o que realmente funciona!)

Quais são suas prioridades?
Os seus esforços tem dito que estas coisas são realmente prioridades?
Tem sido honesto e transparente?
Que tipo de informações você tem buscado para atingir seus objetivos?

Perguntas que você pode responder para si ou aqui nos comentários.

Eu espero sinceramente que este texto te ajude a entender alguns porquês e te impulsione a algo novo. 
Estamos juntos! (Continua...)

24 maio 2016

Novos rumos alimentares

Olá Belas e Belos,




A alguns meses venho pesquisando e modificando alguns hábitos alimentares, aos poucos vou colocando informações aqui no blog.

Fiquei algumas semanas meio afastada, me dedicando a isso e não quis compartilhar nada que fosse "apenas mais uma dieta da moda" pois sinceramente nem eu aguento mais esse tipo de abordagem.

Cheguei em um ponto onde estou preocupada com a minha saúde a longo prazo, com minha qualidade de vida e não estou disposta a ficar azendo continhas, anotações, lançando o que como numa planilha  ou app me sentindo prisioneira e pensando em comida o dia todo. Também não estou mais disposta a abrir mçao do sabor dos alimentos e comer tudo meio seco, meio sem graça, nem a passar horas na cozinha elaborando receitas meio "fake" com alimentos "menos prejudiciais", É eu cheguei no nível "gente grande da coisa" e estou disposta a me abster do que me faz mal.

A maioria das pessoas tem uma ideia equivocada sobre a famosa dupla de palavrinhas: REEDUCAÇÃO ALIMENTAR. Dói quando escuto ou leio que "R.A" é comer de tudo um pouco, que "tem que ter arroz e feijão se não você vai ficar fraca e vai sentir fome.", dói quando leio que comer frutas doces mais vezes ao dia evitam que você sinta vontade de comer doces quando o que eu já experimentei na pele é justamente o contrário (explicando brevemente: frutose = açúcar da fruta = pico de insulina e logo após queda = mais vontade de doces para elevar... isso a grosso modo.)

Vou explicar meu modo de entender a reeducação alimentar: RE educar significa educar novamente, significa que provavelmente a abordagem inicial não esteja funcionando, então isso de "você pode comer de TUDO um pouco" me perdoem mas eu entendo como algo incoerente. 

Então você é a favor de DIETAS RESTRITIVAS? Sim! Especialmente as que restringem o que não te traz beneficio nenhum para sua saúde, como por exemplo: açúcar, farináceos e alguns grãos. Acho bem mais restritivo ficar comendo de 3 em 3 horas, algo meio distorcido também pela mídia ou muito mal entendido pela população, comer comidas sem gosto, sem sal, em conta gotas, acho meio restritivo ter que colocar um alarme no celular para lembrar que 3 horas se passaram, logo devo comer se não eu não vou emagrecer... isso me fazia muito improdutiva.

Hoje depois de tudo que li e aprendi e venho pesquisando compreendi que não a nada de restritivo em escolher melhor a qualidade de alguns grupos alimentares e restringir algumas coisas SIM! Afinal na natureza vemos isso com todos os mamíferos, ou você pensa que a dieta do coelho é restritiva porque só come vegetais? Será que se eu der pra ele um filé de frango grelhado não vai equilibrar? E o pobre do leão, se comesse mais cenoura ou arroz e feijão certamente seria mais saudável...

Brincadeiras sobre o mundo animal a parte: Reeducar é estar disposto a mudar e aprender o que pode fazer bem a você. Não pelo que o "fulano" escreveu, nem pelo que eu estou escrevendo aqui, mas pelo que estudos sérios, científicos dizem. 

Eu tenho colhido bons frutos na minha saúde com uma abordagem do tipo: COMIDA DE VERDADE! Cortei o trigo da minha vida, aboli o açúcar, evito o que posso os industrializados, tenho investido em gorduras boas sem medo de ser feliz, uso adoçante de stévia apenas quando faço raramente algum bolinho doce com as farinhas alternativas que venho usando... enfim, está funcionando muito bem em minha vida. Estou mais tranquila, não sinto compulsão alimentar, não como de 3 em 3 horas e não passo fome, aliás descobri o que é fome pois antes eu sentia era vontade de comer, me sinto livre, mais disposta e lógico que os resultados nas medidas e no peso apareceram de forma MUITO SATISFATÓRIA.

Meus resultados numéricos surpreendentes serão assunto para um próximo post!

Se quiser conhecer um pouco da abordagem que tenho usado segue link para apresentação em vídeo e livro pdf: http://www.bembela.com/2016/05/barriga-de-trigo-william-davis-eliminar.html
© Bem Bela - 2013. Todos os direitos reservados.
Design desenvolvido por: Colorize Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo